Poems From The Portuguese

QUINTA DA REGALEIRA

QUINTA DA REGALEIRA

For love, you could. Or when
you carry in your pocket
a lilac envelope addressed
to a friend you don’t want to lose.

For love – or for friendship –
you will at last, for the first time,
go down the Initiatory Well,

suffer by day the night of tunnels
which will take us back into the light;
this ground walked on by sleek
Americans and dull Europeans.

But spare me reasons
and arguments. Fear was
the most precious thing I had this morning.
Or throughout my whole life.

© Translated by Ana Hudson, 2012

QUINTA DA REGALEIRA

Por amor, pode-se. Ou quando
se traz no bolso do casaco
um envelope lilás dirigido
a um amigo que não queremos perder.

Por amor – ou por amizade –
pode-se, enfim, descer pela
primeira vez o Poço Iniciático,

sofrer em pleno dia a noite
dos túneis que nos devolverão à luz;
esse chão pisado por americanos
nédios e europeus sem graça.

Mas dispensem-me de razões
e argumentos. O medo foi
o que de mais precioso tive esta manhã.
Ou durante toda a minha vida.

in Cólofon, 2012

No Comments :